Experimentando Le Corbusier

Convite 2

 

Semana que vem será abertura da exposição Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo.

 

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, inaugura no dia 16 de junho, sábado, às 14h00, a exposição ‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’.

Com curadoria de Pierre Colnet e Hadrien Lelong, da Cremme – Edi- tora de Mobiliário, via Instituto Cremme, associação que tem como compromisso atuar nas esferas social, educacional e artística por meio da promoção de atividades de fomento à cultura, a mostra permeia o pensamento de Le Corbusier para além do perímetro da arquitetura.

A nova exposição apresenta uma reflexão sobre o modernismo no Brasil e sobre o trabalho do arquiteto franco-suíço. O intuito dos artistas, designers e arquitetos brasileiros convidados para participar da mostra é manter vivo o pensamento moderno e revolucionário de Le Corbusier. Uma conversa entre o premiado arquiteto paulista Paulo Mendes da Rocha e Catherine Otondo inspira as ilustrações de Alexandre Benoit. Noções como simetria, perspectiva, movimento e composição são abordadas pelas obras dos artistas Carla Chaim, Lucas Simões e Ivan Padovani. Estarão expostas peças da Oficina de Marcenaria elaboradas em parceria com o Instituto Leo, que propôs a releitura do modernismo por meio da concepção de móveis inspirados nas obras de Le Corbusier. Os Irmãos Campana completam o corpo de designers, ocupando o jardim do Museu com a instalação Taquara.

“Nos trabalhos expostos, temos um desafio às várias disciplinas que se entrecruzam nos campos do design e da arquitetura, permeados pela experimentação técnico-artística. Uma oportunidade para observar a diluição de suas fronteiras, cada vez mais tênues, na contramão do mundo das especializações”, comenta Giancarlo Latorraca, diretor téc- nico do MCB.

Os curadores também convidaram um time de escritórios brasileiros formado por Aleph Zero, AR Arquitetura, Bloco Arquitetos, FGMF, Gabriel Ranieri, Pedro Ribeiro, Estudio Guto Requena, Metro Arquitetos Associados, MNMA Studio, Nitsche Arquitetos, Play Arquitetura, Terra e Tuma e Triptyque Arhitecture a refletir como hoje repercute o processo modernista no território nacional e dentro do próprio ambiente de trabalho. O artigo do filósofo francês Mickaël Labbé, feito especialmente para a mostra, sustenta o trabalho dos arquitetos na exposição.

 

SERVIÇO

Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo

Abertura: 16 de junho, sábado Horário: às 14h00

Entrada gratuita

Visitação: até 12 de agosto

Museu da Casa Brasileira Av. Faria Lima, 2705

Tel.: (11) 3032-3727

VISITAÇÃO De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maio- res de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhan- te pagam meia-entrada

Gratuito aos finais de semana e feriados Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br www.mcb.org.br

Anúncios

Curso SESC

Screen Shot 2018-05-25 at 13.03.55

Curso Fotografia e Cidade

São Paulo vive um momento particular de sua história. Mais do que nunca os espaços públicos são ocupados por sua população que o reinvidica tanto a partir da presença física, quanto pela busca incansável por criar sua imagem.

A todo instante a cidade impõe novas visualidades, mas suas dimensões fogem à capacidade humana de imagina-lá como um todo. Como estabelecer vínculos entre o espaço físico e o sujeito em meio ao ritmo frenético da vida contemporânea? Como lidar com o anestesiamento ocasionado pelo excesso de informação e toda sorte de impactos visuais a que somos submetidos no dia a dia? De fato o observador deve enfrentar estas questões se quiser assumir um papel ativo e criativo na formação da imagem do mundo que o cerca. Neste sentido, a fotografia se torna uma das ferramentas mais adequadas para permitir um olhar capaz de dar conta desta multiplicidade.

Este curso pretende discutir a desafiadora tarefa de constituir um olhar sobre a cidade. Para isso serão abordados autores como Kevin Lynch, Nelson Brissac, Francesco Careri, Hal Foster e Walter Benjamin, a fim de complementar ou contrapor estas idéias.

Uma série de artistas visuais e fotógrafos também serão tratados com o objetivo de especular as diversas possibilidade de construção da imagem de um contexto urbano como São Paulo, sempre voltando a atenção simultaneamente para seu potencial enquanto expressão poética e postura política.

A partir de ações práticas e das provocações colocadas em sala, a grupo será incentivado a produzir em campo. O material gerado será compartilhado e servirá de base para uma discussão de encerramento.

Quinta-feiras entre os dias 07/06 e 05/07

Das 19 às 22 h

Inscrições pelo site

Prêmio Diário Contemporâneo

TRAUMA selecionada no Prêmio Diário Contemporâneo 2018!

180203_TRAUMA_Zipper Galeria_0038

Após avaliação intensa das obras inscritas, a comissão de seleção e premiação desta edição, composta por Rosely Nakagawa (SP), curadora e pesquisadora; Walda Marques (PA), fotógrafa e Flavya Mutran (PA), artista e professora, escolheu os trabalhos que irão compor a exposição do 9º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia.

A partir da temática “Realidades da imagem, Histórias da Representação” vieram 300 dossiês de todas as regiões do país concorrendo a um dos três prêmios no valor de R$ 10.000,00 cada, sendo dois deles concedidos na forma de bolsa para residência artística nas cidades de São Paulo e de Belém.

O início dos trabalhos de seleção foi marcado por uma conversa com o curador do projeto, Mariano Klautau Filho, que abordou a trajetória do Prêmio e destrinchou a temática escolhida para 2018.

Cada ano traz um processo de seleção particular. A proposição temática entra em contato com o artista e o trabalho deste entra em contato com o olhar da comissão. “Devemos pensar as relações que a arte tem com a sociedade, com a realidade, com o contexto social”, observou Flavya.

O alto nível dos trabalhos inscritos fez com que a comissão optasse por aumentar o número de contemplados. Inicialmente o edital previa a escolha de até 20 trabalhos, já contando com os três premiados. Ao final, 26 trabalhos integrarão a mostra.

Criado em 2010, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia trata-se de um projeto nacional, que em seus anos de atuação contribuiu para a consolidação do Pará como lugar de reflexão e criação em artes, além de proporcionar o diálogo entre a produção local e nacional. É uma realização do jornal Diário do Pará com apoio da Vale, apoio institucional do Museu do Estado do Pará – MEP, do Sistema Integrado de Museus/Secult-PA e do Museu da UFPA.

Veja abaixo a lista completa dos fotógrafos premiados e selecionados:

  • Prêmio Diário Contemporâneo – Edu Marin Kessedjian (SP)
  • Prêmio Residência Artística São Paulo – Ionaldo Rodrigues (PA)
  • Prêmio Residência Artística Belém – Ricardo Ribeiro (SP)
  • Ana Lira (PE)
  • André Penteado (SP)
  • Camila Falcão (SP)
  • Élcio Miazaki (SP)
  • Emídio Contente (PA)
  • Fernando Schmitt (RS)
  • Fernando de Tacca (SP)
  • Gabriela Lima (RJ)
  • Ivan Padovani (SP)
  • João Castilho (MG)
  • João Paulo Racy (RJ)
  • José Diniz (RJ)
  • Marcelo Kalif (PA)
  • Marcílio Caldas Costa (PA)
  • Marco A. F. (RS)
  • Maurício Igor (PA)
  • Natasha Ganme (SP)
  • Paulo Baraldi (SP)
  • Pedro Clash (SP)
  • Roberto Setton (SP)
  • Sérgio Carvalho (PI)
  • Thiéle Elissa (RS)
  • Tiago Coelho (RS)

42º Salão de Arte de Ribeirão Preto

Screen Shot 2017-07-19 at 11.23.43

No próximo dia 04 de agosto inaugura a exposição do 42º Salão de Arte de Ribeirão Preto, a qual faço parte ao lado de mais trinta artistas de todo Brasil.


 

Resultado da 2ª seletiva e premiação

Comissão de Seleção e Premiação:
Leda Catunda, Nilton Campos e Regina Teixeira de Barros

Artistas selecionados:

Adolfo Emanuel (De Cornélio Procópio-PR; Vive e trabalha em Londrina-PR)
Antonio Pulquerio (De Campos Sales-CE; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Brisa Noronha (De Belo Horizonte-MG; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Caio Marcolini (De Niterói-RJ; Vive e trabalha no Rio de Janeiro-RJ)
Célia Aloi (De Ribeirão Preto-SP; Vive e trabalha em Ribeirão Preto-SP)
Edgar Racy (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em Cotia-SP)
Felipe Ferraro (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Francisco Horta Maranhão (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Gabriel Botta (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Guilherme Tavares (De Santo André-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Hermano Luz (De Recife-PE; Vive e trabalha em Brasília-DF)
Ivan Padovani (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Junior Suci (De Americana-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Kátia Fiera (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Lara Chang Valente (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em Botucatu-SP)
Leandra Espírito Santo (De Volta Redonda-RJ; Vive e trabalha em Jundiaí-SP)
Liliana Alves (De Itajubá-MG; Vive e trabalha em Sorocaba-SP)
Luca Parise (De Paris-França; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Lula Ricardi (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Margarida Holler (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em Jacareí-SP)
Mariano Barone (De Santa Fé-Argentina; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Norma Mobilon (De Campinas-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Osvaldo Carvalho (Do Rio de Janeiro-RJ; Vive e trabalha no Rio de Janeiro-RJ)
Renato Pera (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Rodrigo Linhares (De Bento Gonçalves-RS; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Samuel Oliveira (De Piracema-MG; Vive e trabalha em Belo Horizonte-MG)
Sandra Mazzini (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Sérgio Pinzón (De Bogotá-Colombia; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Simone Fontana Reis (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)
Talles Lopes (Do Guarujá-SP; Vive e trabalha em Anápolis-GO)
Ulysses Boscolo (De São Paulo-SP; Vive e trabalha em São Paulo-SP)

Artistas premiados | Prêmios aquisitivos ao Acervo MARP, no valor de R$ 8.500,00 cada:

Gabriel Botta | com 02 obras
Renato Pera | com 02 obras
Rodrigo Linhares | com 01 obra

Obs. Os prêmios SARP são de incentivo e contemplam o retorno dos três artistas premiados, em abril de 2018, para a realização de mostras individuais simultâneas, no MARP.

______

“42° SARP”
Em exposição de 04/08 a 15/09/2017, no MARP, piso superior.
Coquetel de abertura, dia 04/08, às 20h30.

Rua Barão do Amazonas, 323, Ribeirão Preto-SP.
Visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábados, das 12h às 18h.
Obs. Nos dias 07, 08 e 09/09/2017, o MARP não estará aberto para visitação.
Informações no MARP (16) 3635 2421 / 3941 0089.

______

No dia 05/08
“Bate-papo no MARP”

Programação do “42° SARP – Salão de Arte de Ribeirão Preto Nacional-Contemporâneo”
Tradicionalmente o MARP faz um bate-papo na manhã seguinte à abertura de exposição.
Presença dos artistas participantes da quadragésima segunda edição do “SARP”.

No MARP, às 10h.

Rua Barão do Amazonas, 323, Ribeirão Preto-SP.
Evento gratuito, aberto a interessados.
Informações no MARP (16) 3635 2421 / 3941 0089.

______

Realização:
Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto
Secretaria Municipal da Cultura
MARP – Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi

Apoio:
AAMARP – Associação de Amigos do MARP

Edicão Campo Cego

screen-shot-2016-12-18-at-12-53-56

Pela primeira vez tive a chance de reunir todas as imagens produzidas durante as pesquisas para o projeto Campo Cego. Fiz um pequeno vídeo resumindo como foi a edição do material.

O processo se deu com base na separação das imagens em grupos de acordo com as seguintes ocorrências:

  • imagens com árvores
  • fachadas com janelas
  • excesso de fios
  • grafitte ou símbolos
  • excesso de antenas
  • dias ensolarados
  • perspectiva
  • excesso de sobreposições
  • elementos diagonais
  • elementos circulares
  • elementos decorativos
  • edifícios em construção

A escolha final respeitou uma lógica de negação, excluindo as imagens que apresentavam as ocorrências acima, salvo algumas excessões. As fotos selecionadas encontram-se nas ultimas três faixas do final do vídeo.

 

 

 

Revista Bravo

screen-shot-2016-09-29-at-2-41-07-pm

A Revista Bravo esta de volta! Agora em versão digital com uma edição dedicada à São Paulo! Uma honra ver o projeto Campo Cego fazendo parte da pesquisa de mestrado da Didiana Prata, sobre como alguns fotógrafos recorrem à dispositivos móveis e redes sociais para construção de narrativas visuais sobre a cidade. No meu caso ela apresenta uma das primeiras fases do meu processo de produção em que utilizo o celular e instagram para fazer um mapeamento das empenas cegas.

 

Screen Shot 2016-09-29 at 2.41.49 PM.png